shopping-bag 0
Items : 0
Subtotal : R$0,00
View Cart Check Out

Washington





Washington

Compartilhe:

Washington César Santos nasceu em Valença, litoral sul da Bahia, em 03 de janeiro de 1960. Começou a carreira em 1980, no Galícia, pequeno clube baiano. Atuou em 12 partidas marcando 5 gols e despertando a atenção do Corinthians. Transferiu-se para o clube paulista em 1981, onde atuou em 17 partidas marcando 4 gols. Sem grande destaque se transferiu para o Operário, do Mato Grosso do Sul e logo depois para o Internacional de Porto Alegre, onde conquistou seu primeiro título, o campeonato Gaúcho.

Do Internacional se transferiu para o Varzim Sport Club, de Portugal. Mais uma vez não teve destaque e retornou ao Brasil para defender o Atlético-PR em 1982. Ali a carreira de Washington começou a mudar. Rapidamente conquistou o coração do torcedor atleticano, formando uma dupla arrasadora com Assis. Conquistou o campeonato Paranaense de 1982 e chegou a semifinal do Campeonato Brasileiro após eliminar o São Paulo, mas foi derrotado pelo Flamengo, que viria a conquistar o título.

O Fluminense então fez uma proposta pelo atacante que só foi negociado após acordo para a contratação do apoiador Assis em conjunto. Logo na primeira partida, Assis e Washington demonstravam que o entrosamento vindo do Atlético-PR seria muito útil ao Fluminense. No dia 2 de julho de 1983, o Tricolor venceu o São Cristóvão por 3 a 0, com dois gols de Deley e o primeiro de Washington com a camisa Tricolor. A torcida passou a apelidar a dupla Washington e Assis de “Casal 20”, inspirada em um famoso seriado da TV.

Washington tinha 1,88cm e grande impulsão, o que contribuía para o grande número de gols marcados com a cabeça. Sempre que havia um escanteio, a torcida cantava nas arquibancadas: “Ão, ão, ão, na cabeça do negão…”. O atacante conquistou logo na primeira temporada o campeonato Estadual de 1983, em cima do Flamengo. Repetiu o feito em 1984 e em 1985 conquistou o Tricampeonato Estadual. Em 1984, conquistou ainda o Campeonato Brasileiro, entrando definitivamente para a galeria de ídolos do Fluminense. Pelo Fluminense conquistou ainda três torneios internacionais, o Torneio de Seul em 1984, o Torneio de Paris e a Copa Kirin em 1987. Permaneceu nas Laranjeiras até 1989, marcando 120 gols em 303 jogos, quando se transferiu para o Guarani. Atuou ainda pelo Botafogo, União São João, Desportiva Ferroviária, Santa Cruz, Felgueiras-POR, Santa Cruz, Fortaleza e Foz do Iguaçu. Conquistou pelo Botafogo o Campeonato Carioca de 1990, o Campeonato Capixaba de 1992 pela Desportiva e o Campeonato Pernambucano pelo Santa Cruz em 1993.

Participou de quatro partidas da Seleção Olímpica marcando dois gols, e pela Seleção principal foram cinco partidas com dois gols. Conquistou a medalha de ouro no Pan-Americano de 1987, quando marcou um dos gols na final contra o Chile, vencida pelo Brasil por 2 a 0.

Após encerrar a carreira foi diagnosticado com uma grave doença degenerativa, a ELA (Esclerose lateral amiotrófica). Já em cadeira de rodas, no dia 15 de Novembro de 2009, em partida realizada entre o Fluminense e o Atlético-PR, foi criado o evento “Washington Day”, uma homenagem que ajudou na angariação de fundos para o tratamento de Washington, em sete urnas espalhadas pelo Maracanã. Um mês depois da partida, o ex-jogador Zico separou R$ 50 mil da renda de seu tradicional Jogo das Estrelas, disputado anualmente no Maracanã para ser utilizado no tratamento de Washington.

Anos mais tarde, o atacante Fred se solidarizou com o drama de Washington e leiloou uma camisa autografada por ele e pelo ex-jogador. O camisa 9 da Seleção Brasileira usou uma camiseta do “Washington Day” e todo o dinheiro arrecado foi usado no tratamento do ex-jogador.

Washington foi encontrado morto em sua casa, em Curitiba na manhã de domingo, do dia 25 de maio de 2014. Segundo a família, estava sem o respirador que o mantinha vivo, o aparelho caiu durante a noite. O ídolo Tricolor já vinha sendo acompanhado diariamente por uma equipe médica.

Em 2015, o ídolo foi homenageado ao lado de Assis com um livro, uma medalha comemorativa e um busto nas Laranjeiras através de um projeto de captação de recursos junto com a torcida, promovido pelo Flu Memória.

Galeria de imagens:

 

 

Compartilhe: