shopping-bag 0
Items : 0
Subtotal : R$0,00
View Cart Check Out

Preguinho





Preguinho

Compartilhe:

João Coelho Netto nasceu no Rio de Janeiro, no dia 8 de fevereiro de 1905. Filho do escritor Coelho Netto, recebeu ainda menino o apelido de Preguinho. As versões que originaram o apelido são diversas, desde uma brincadeira em um rio, até uma aula de natação, já que Preguinho nunca contou a história original, mas o fato é que foi atirado na água em uma brincadeira com irmãos e amigos e tentando se salvar, afundava como um “prego”.

Os irmãos Mano e George ingressaram no Fluminense em 1915, no ano seguinte Preguinho e Paulo, outro irmão, se filiaram ao Clube e ingressaram na equipe infantil do Tricolor. Disputaram o primeiro campeonato infantil de futebol da Cidade, levando o título para as Laranjeiras. Em 1927, quando o Fluminense filiou-se à AMEA (Associação Metropolitana de Desportos Athleticos), Preguinho firmou-se como meia-direita, vestindo a camisa 10.

Preguinho foi artilheiro do campeonato Estadual de 1930, com 20 gol e de 1932, com 21 gols. Campeão Brasileiro de amadores em 1931, e carioca em 1933 e 1938, em ambos foi o artilheiro com 21 gols. Em 1938 conquistou o título ao lado de Heleno de Freitas, jogador que indicou ao Fluminense.

Já na era profissional, participou da conquista do Tricampeonato Estadual vencido pelo Fluminense em 1936, 1937 e 1938 (Não atuou pelos profissionais em 1936). Recusou-se a profissionalização, pois achava demérito defender o clube de seu coração por dinheiro, o fazia por amor.

Incentivado por seu pai, Preguinho era um apaixonado pelos esportes de uma forma geral, não somente pelo futebol.Foi vencedor em quase todas as modalidades que disputou, e não foram poucas. No basquete o atleta teve um desempenho extraordinário, conquistando cinco campeonatos Estaduais (Em 1924, 1925, 1926, 1927 e 1931) e dois campeonatos Brasileiros (Em 1925 e 1927). Marcou 711 pontos, sendo até hoje um dos maiores cestinhas da história do Fluminense Football Club.

Conquistou diversos títulos na natação, atuando pelo Clube de Regatas Guanabara e também pelo Fluminense. Brilhou no voleibol, no polo aquático, saltos ornamentais, hóquei de grama, tênis de mesa e atletismo. Ao todo foram 55 títulos e 387 medalhas pelo Fluminense. Certa feita, em 1925, disputou uma prova de 600 metros na praia de Botafogo, pelo Guanabara, conquistando campeonato carioca de natação. Ao terminar a prova, somente vestiu o roupão, pegou um táxi e se dirigiu às Laranjeiras, jogou a final do Torneio Início ajudando o Fluminense a conquistar o torneio, com a vitória por 1 a 0 sobre o São Cristóvão, gol de Lagarto, sagrando-se assim, Campeão de “Terra e mar”.

Foi o primeiro capitão da Seleção Brasileira em uma Copa do Mundo, marcando de cabeça o primeiro gol canarinho da competição na derrota por 2 a 1 para a Iugoslávia. Um marco na história de nossa seleção. Foi o primeiro artilheiro do Brasil em uma Copa do Mundo com três gols marcados. Preguinho marcou ainda outros quatro tentos pela seleção em amistosos. Na derrota para a Iugoslávia, muitos criticaram a apatia dos jogadores Brasileiros, que estavam com medo dos adversários. O meia-central Fausto queixou-se do comportamento de alguns companheiros durante a partida:

A maioria tremeu de medo, não de frio. Preguinho foi o único que enfrentou corajosamente a defesa iugoslava

Ao longo da carreira, Preguinho marcou 229 gols em 180 jogos, uma média impressionante de 1,27 gol por partida. Pelo Fluminense, foram 173 jogos na equipe principal, com 99 vitórias, 28 empates e 46 derrotas, marcando 156 gols. Encerrou a carreira no dia 21 de junho de 1939, em um amistoso contra a Seleção de Niterói, no estádio Byron, com uma vitória do Fluminense por 4 a 2, onde marcou o último gol na carreira, aos 32min do segundo tempo, o quarto tento tricolor na partida.

Em 1943 assumiu o cargo de Diretor Social do Fluminense e no ano seguinte, se tornou diretor de Futebol do Clube, foi responsável direto pela formação da equipe que viria a conquistar o Mundial Interclubes. Revelando jogadores como Telê Santana. No dia 22 de janeiro de 1952, Preguinho recebeu o título de Grande Benemérito Atleta do Fluminense, quando proferiu a frase:

Eu nem sabia falar direito e o Fluminense já estava em minha alma, em meu coração e em meu corpo”.

Em 1956, após encerrar a atividade como diretor de futebol, passou a atuar como coordenador dos jogos da Primavera e dos jogos infantis do Fluminense. Em 1970, recebeu da presidência da república a medalha de honra ao mérito, no grau de Cavaleiro. No dia 11 de novembro recebeu do Fluminense o título de Grande Benemérito do Clube. Em 1973, Preguinho recebeu o título de Cidadão Benemérito do Estado da Guanabara, pela Assembleia Legislativa do Estado. Tem hoje um busto em frente ao ginásio poliesportivo das Laranjeiras, que leva o seu nome.

Preguinho faleceu na madrugada de primeiro de outubro de 1979, aos 74 anos de idade, por insuficiência pulmonar, em sua residência, na Rua das Laranjeiras.

Galeria de imagens:

Galeria de Vídeos:

[workbox_video_YV_list gallery_name=”preguinho”]

 

Compartilhe: